Highslide for Wordpress Plugin

Partilhando o protagonismo junto a Pastoral da Juventude

A experiência junto ao Grupo de Jovens FAPIES da comunidade Sant’na – Campinas/Brasil, tem dado a singular oportunidade de crescimento junto a eles em redescobrir por onde anda as aspirações e inquietudes do dinamismo juvenil. Falamos com frequência de jovens sem nos deixarmos interpelar por eles, este tempo de caminhada com eles, tem aberto a compreensão em poder entendê-los melhor e ser presença, adequando ao ritmo da nova geração sem perder a essência do evangelho. Confesso ter deparo-me com uma serie de desafios, mas também de oportunidades sejam elas externas e internas, muitas das quais são especificas de seus contextos individuais, realmente é preciso abandonar antigos esquemas.

Que alegria poder acompanhar estes jovens empenhados em ações humanitárias, no voluntariado esporádico ou continuo, na alegria em servir, na atenção e delicadeza para com o próximo, nas atividades da arquidiocese, da comunidade paroquial, nos projetos enfim, ai estão eles, sendo protagonistas deste momento colocando e desenvolvendo seus dons em prol dos outros, contribuindo para uma comunidade e uma sociedade mais animada, mais comprometida e melhor, pois um cristão alegre faz uma Igreja alegre e renovada.

A socióloga Helena Abbramo: “Cada juventude é filha de seu tempo, ou seja, da sociedade em que vive. Se a sociedade é justa e fraterna, a juventude vai incorporar esses valores e desenvolve-los. Se a sociedade é consumista e violenta, isso também afetará o comportamento juvenil”. A proposta do Sínodo da Juventude apresenta de modo peculiar desenvolver condições para que os jovens sejam acompanhados com paixão e competência no discernimento vocacional, ou seja, em “reconhecer e acolher a chamada ao amor e à vida em plenitude” (Documento preparatório, Introdução).

Discernir a própria vocação representa um desafio, oxalá, possamos enxergar, estar e comprometer por eles, e ajuda-los a encontrar sua vocação, a compreensão profunda de si mesmos e do lugar que ocupam no mundo. A ideia geral de que a vocação é um chamado ainda não é clara aos jovens, e por isso é necessária uma maior compreensão da vocação cristã e do chamado universal à santidade, é importante que os jovens saibam que sua vocação vem da dignidade intrínseca da própria vida e que cada um tem a responsabilidade de discernir ‘quem’ é chamado a ser e ‘o quê’ é chamado por Deus a fazer. Estes jovens são para mim um exemplo, para empenhar-me ainda mais na entrega alegre da minha vocação consagrada de Irmãs da Consolação na missão com a Juventude.

Os jovens buscam companheiros de caminho, exemplo de pessoas que podem seguir nos dias atuais, buscam estar em torno pessoas que comuniquem a verdade, testemunhos vivos, capazes de evangelizar através de suas vidas. Agradeço pela oportunidade de continuar crescendo junto ao Grupo de Jovens PAFIES pelo enriquecimento em compartilhar tantas iniciativas do grupo na vivência da espiritualidade e da fé, por meio dos sacramentos, dos momentos de oração e da liturgia.

Que a sinergia criada deste Sínodo da Juventude nos ajuda a acolher os desafios e orientações dadas pelo Papa Francisco, em ajudar os jovens a tomarem consciência de sua vocação na arte do discernimento.

Ana Maria Rosa Caparelli

Irmãs de Nossa Senhora da Consolação

Campinas-SP/Brasil